Torres Vedras, Viseu e Aveiro recebem as próximas 3 edições do ART&TUR

Torres Vedras, em 2019, Viseu, em 2020, e Aveiro, em 2021, vão receber as próximas edições do Festival ART&TUR.

As novidades foram anunciadas durante a apresentação da edição de 2019, que decorreu em Santa Cruz.

A edição de 2019 do Festival ART&TUR compreende quatro componentes no seu programa: “Art&Film”, “Art&Talk”, “Art&Factory” e “Art&Show”. Destacar o “Art&Factory” que este ano, surge com uma nova iniciativa. Além da competição mundial focada nas Aldeias do Xisto e Aldeias Históricas, haverá uma outra competição puramente lusófona – o “Amazonian Connection” –, em que cada equipa de participantes produzirá dois filmes, de modo a juntar os municípios homónimos de Portugal e da Amazónia brasileira, nomeadamente Alenquer, Aveiro, Bragança, Óbidos, Ourém, Porto de Mós, Santarém, Soure e Viseu.

Carlos Bernardes, Presidente da CM Torres Vedras, elogiou o ART&TUR mencionando que, é hoje um “evento de referência, que ajuda a divulgar destinos cinematográficos que as pessoas podem visitar”. Por outro lado, “ajuda a combater a sazonalidade, uma vez que promove os territórios ao longo do ano, e não apenas em época específicas, demonstrando uma visão estratégica e integrada”.

António Almeida Henriques, líder do município de Viseu (2020), elogiou igualmente a “lógica continuada da localização do Festival, que permite às cidades que se seguem aproveitarem a edição anterior para se promoverem” e o facto de “os autarcas cooperaram cada vez mais entre si, defendendo os seus territórios”.

José Ribau Esteves, Presidente da CM Aveiro, que vai receber o Festival em 2021, realçou que o “ART&TUR é um excelente pretexto para dar a conhecer territórios fantásticos. É um privilégio sermos do Centro de Portugal. Aveiro será um bom herdeiro do trabalho que se fará em Torres Vedras e em Viseu”.

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, salientou que “o Turismo do Centro agarrou este projeto com alma e coração” e que o ART&TUR é uma aposta estratégica. “Precisamos de alimentar a indústria do turismo e isso passa por estruturar e aumentar a oferta turística. Este Festival insere-se nessa estratégia, uma vez que é um ativo muito forte para a região”. Pedro Machado recordou ainda que o turismo cinematográfico “é um instrumento poderoso” de promoção, uma vez que cada vez mais turistas querem conhecer os cenários de filmes e séries que viram nos ecrãs.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *